As configurações de cookies neste site são definidas para que possamos dar-lhe a melhor experiência enquanto estiver aqui. Se desejar, você pode alterar as configurações de cookies a qualquer momento em seu navegador. Ao continuar navegando você concorda com a nossa política de privacidade.
Aceitar e fechar
História da Santa

Margherita nasceu no ano de 1381, em Roccaporena, na Itália, a cinco quilômetros de Cássia, onde foi batizada e logo recebeu o apelido carinhoso de Rita. E, com esse apelido, seria mais tarde invocada por todos os seus devotos.

Filha única. Seus pais, conhecidos como "Juízes de Paz", a tiveram somente dezoito anos após o casamento. Santa Rita de Cássia queria ser religiosa, mas seus pais escolheram para ela um marido, como era costume na época. O marido escolhido foi Paolo Ferdinando. Casou-se por vontade dos pais aos quinze anos. Não foi uma boa escolha, pois Paolo era um infiel no matrimônio e tinha o hábito de beber demais. Por causa dele, Santa Rita sofreu por 18 anos, período em que foi casada, sendo chamada também de "esposa de mártir". O casal teve dois filhos. Durante o tempo de casada, Rita demonstrou muita paciência e resignação por tudo que sofreu.

Mesmo sofrendo, ela nunca deixou de rezar pela conversão dele. Por fim, a mansidão e o amor de Rita transformaram aquele homem rude e bruto. Paolo se converteu e mudou sua vida conjugal de tal forma que as amigas de Rita e as mulheres da cidade vinham aconselhar-se com ela.

Paolo, embora verdadeiramente convertido, tinha deixado um rastro de violência e rixas entre alguns grupos da cidade. Assim, um dia ele saiu para trabalhar e não voltou para casa. Santa Rita de Cássia teve a certeza de que algo horrível tinha acontecido.

No dia seguinte ele foi encontrado morto. Tinha sido assassinado. Seus dois filhos, que já eram jovens, juraram vingar a morte do pai. Santa Rita, então, pediu a Deus que não deixasse eles cometerem esse pecado mortal. Logo os dois ficaram muito doentes, de forma incurável. Antes que eles morressem, porém, Santa Rita ajudou os dois a se converterem, ao amor de Deus e ao perdão. A graça foi tão grande que os dois conseguiram perdoar o assassino do pai, e morreram.

Parece estranho, mas a morte dos dois filhos de Santa Rita quebrou uma corrente de ódio e vingança que poderia durar anos, causando muito mais sofrimentos e mortes. Depois disso, Santa Rita de Cássia teve a certeza em seu coração de que os três estavam juntos no céu. Assim, tudo tinha valido a pena.
  • DEUS COLOCA SANTA RITA DE CÁSSIA EM UM CONVENTO
  • SOFRIMENTO DE CRISTO NO CORPO DE SANTA RITA DE CÁSSIA
  • MORTE DE SANTA RITA DE CÁSSIA
  • GLORIFICAÇÃO DE SANTA RITA DE CÁSSIA
  • DEVOÇÃO A SANTA RITA DE CÁSSIA
DEUS COLOCA SANTA RITA DE CÁSSIA EM UM CONVENTO
Santa Rita, estando sozinha na vida, quis entrar para o convento das irmãs Agostinianas, obedecendo ao chamado que sentia desde menina. As irmãs, porém, estavam em duvida sobre sua vocação, visto que tinha sido casada, o marido fora assassinado e os dois filhos morreram de peste. Por tudo isso, elas não queriam aceitar Rita no convento.

Então, numa noite, Santa Rita dormia, quando ouviu uma voz chamando: Rita. Rita. Rita.

Ela abriu a porta e estavam ali, Santo Agostinho, São Nicolau de Tolentino e São João Batista. Eles pediram que ela os seguisse e depois de andarem pelas ruas, os santos desapareceram e Rita sentiu um suave empurrão. Ela caiu em êxtase e, quando voltou a si, estava dentro do mosteiro, estando este com as portas trancadas. Então as freiras não lhe puderam negar a entrada. Rita viveu ali por quarenta anos.
SOFRIMENTO DE CRISTO NO CORPO DE SANTA RITA DE CÁSSIA
Orando aos pés da cruz Santa Rita de Cássia pediu a Jesus que pudesse sentir um pouco das dores que ele sentiu na sua crucificação. Então, um dos espinhos da coroa de Jesus cravou-se em sua cabeça e Santa Rita sentiu um pouco daquela dor terrível que Jesus passou.

O espinho fez em Santa Rita uma grande ferida, de tal forma que ela tinha que ficar isolada de suas irmãs. Assim, ela fazia mais orações e jejuns para Deus. Santa Rita de Cássia ficou com a ferida por 15 anos. A chaga só foi curada quando Irmã Rita foi a Roma, no ano santo. Quando voltou ao mosteiro, porém, a ferida se abriu novamente.
MORTE DE SANTA RITA DE CÁSSIA
No dia 22 de maio de 1457, o sino do convento começou a tocar sozinho. Santa Rita estava com 76 anos. Sua ferida cicatrizou-se e seu corpo começou a exalar um perfume de rosas. Uma freira chamada Catarina Mancini, que tinha um braço paralítico, ao abraçar Santa Rita de Cássia em seu leito de morte, ficou curada. É conhecida pelo título de "Santa das Causas Impossíveis".

No lugar da ferida apareceu uma mancha vermelha que exalava um perfume celestial que encantou a todos. Logo apareceu uma multidão para vê-la. Então, tiveram que levar seu corpo para a igreja e lá está até hoje, exalando suave perfume, que a todos impressiona.
GLORIFICAÇÃO DE SANTA RITA DE CÁSSIA
Morta no dia 22 de maio de 1457, seus funerais tiveram lugar, provavelmente, no dia 24. Já no dia 25 desencadeou-se uma verdadeira onda de milagres. Até o dia 18 de junho contam-se onze milagres devidamente comprovados. É interessante observar que Santa Rita, por um privilégio singular, nunca foi enterrada.

Depois de sua morte, a Santa foi colocada numa caixa de cipreste ou nogueira. Esta caixa, colocada sob o altar do mosteiro foi danificada por um incêndio, alguns anos depois, permanecendo seu corpo inteiramente intacto.

Este mesmo corpo está conservado até nossos dias. Todos podem vê-lo em Cássia, colocado numa magnífica caixa nova no centro da capela dedicada à Santa, no Santuário construído a partir do ano de 1937. Atualmente o rosto parece algo mumificado e amorenado, mas intacto e bem conservado.

Rita foi beatificada em 1626 e a canonização foi realizada no dia de Pentecostes do Ano Santo de 1900. Quando a Igreja elevou Santa Rita às honras dos altares, depois de um longo e minucioso processo e após a manifestação de inúmeros milagres, apresentou esta humilde freira agostiniana como exemplo a ser imitado por todos nós em qualquer estado ou condição de vida.

Chega a ser um fenômeno digno de estudo o caso da veneração que o povo brasileiro tem por Santa Rita. É imenso o número de Igrejas e capelas que são dedicadas ao culto de Deus, sob a a proteção da Santa. É grande, também, o número de cidades, arraiais e lugarejos com o nome de Santa Rita.

Fazendas, bairros, usinas, lojas, farmácias e indústrias, com o nome da Santa, multiplicam-se por todo o Brasil.
DEVOÇÃO A SANTA RITA DE CÁSSIA
Santa Rita de Cássia foi beatifica no ano 1627, em Roma, pelo Papa Urbano Vlll. Sua canonização foi no ano de 1900, no dia 24 de maio, pelo Papa Leão Xlll e sua festa foi é comemorada no dia 22 de maio de todo ano.

O Santuário Santa Rita de Cássia, em Curitiba-PR, carinhosamente conhecido por Santuário das Rosas, é totalmente dedicado à ela e possui simbologias de sua vida, tais como o jardim de rosas, figueiras, parreiral de uvas verdes, um monumento de 9 metros, entre outros que aproximam cada vez mais os devotos aos exemplos e virtudes da Rita de Cássia. Recebe mais de 12.000 pessoas no dia 22/05, data em que festejamos a devoção a Santa dos Impossíveis. 
 
Copyright © 2024 - Santuário Santa Rita de Cássia.
Todos os direitos reservados, navegando no site você aceita a nossa política de privacidade.
Desenvolvido com por Desenvolvido com amor Agência Arcanjo
X Fechar

Notice: Undefined index: idioma in /home/santarita/public_html/pg/includes/footer.php on line 107

Notice: Undefined index: in /home/santarita/public_html/pg/includes/footer.php on line 107